a

e no fim tudo muda novamente

o percurso deste blog é no mínimo estranho.

começa lá atrás, em Agosto de 2005 no blogger usando obviamente tecnologia Google.

três anos depois, resolvo aventurar-me pela novidade de ter o meu próprio domínio e monto o blog num servidor escondido no outro lado do mundo e escolho usar um software obscuro, dotclear e faço a primeira importação sem problemas a partir do blogspot.

seguindo a filosofia open-source, participo no projecto ao traduzir várias versões do software para Português de Portugal. esta terá sido eventualmente a fase mais activa do blog onde até chego a usar aplicações para terminal móvel o que me permite escrever rascunhos de novos posts “on-the-go”.

no entanto, em 2009 aparece no meu radar o Twitter, uma rede social da novidade, que é inclusivamente tratada como um serviço de microblogging. todas estas opções extra fazem com que vá escrevendo ainda menos coisas no blog.

mais recentemente, em 2014, farto-me do dotclear, provavelmente por ter começado a ajudar outros com instalações wordpress, e trato da migração onde acabo por perder a maioria das poucas fotos que tinha adicionado durante os tempos do dotclear. isto acontece por pura burrice e desleixo.

por esta altura torna-se óbvio que a razão de tão pouca escrita não tem nada a ver com a tecnologia mas sim com todo um conjunto de circunstâncias que evita a tal escrita mais profunda.

e como a razão não é, nem nunca foi a tecnologia, está na hora de mudar de novo e voltar às raízes com esta nova (re)encarnação de ter o blog estático com hugo; e como eu sózinho a fazer as coisas, já se sabe como é, pedi ajuda ao Bruno Amaral para fazer com que a magia aconteça.

e é isto, uma nova vida em Markdown (para quem não saiba é uma espécie de linguagem para acentuar texto de forma simples)

categorias: coisas da minha mona, pensamentos,