no fim do ano e no inicio do novo

já faz algum tempo que não escrevo, confesso, é calãzisse pura, nada de mais.

aproveito um pequeno interregno para divagar, pensar, reflectir e dizer disparates sobre o ano que se passou, tudo no meu humilde ponto de vista. sem dividir o ano entre coisas boas e coisas más, vou saltando entre os assuntos usando o + para as coisas mais positivas e o óbvio – para as piorzinhas.

tal como em muitos anteriores, este ano teve de tudo, um pouco pelo lado mais pessimista, com a crise a afectar práticamente todos nós, como a habitual especulação no preço dos combustíveis-, por outro lado a baixar os juros exorbitantes da banca, no que diz respeito aos empréstimos para a habitação+, mas sem esquecer o inevitavel problema dos bancos quererem sacar- tudo e a todos e de qualquer forma sem nexo nenhum.

no ponto de vista mais pessoal, consegui neste ano a tão esperada certificação ao nível do secundário, o tão famoso e longinquo +++12º+++ano.

tive também a oportunidade de conseguir ter uma experiência de férias pelo nosso tão esquecido Alentejo, em que por lá andei umas três semanas, visitando inúmeras povoações e monumentos. um pequeno à parte que é extremamente relevante, ao contrário do que nos fazem querer acreditar, o nosso Alentejo profundo está muito bem tratado, com os campos cultivados, bem arranjados e no geral com uma manutenção bem cuidada. o contraste com o que vejo pelas Beiras é notório, enquanto que no Alentejo está tudo com muito bom aspecto, pelas Beiras nota-se bem o abandono, não admira portanto que as Beiras ardam bem mais vezes do que no sul.

no trabalho, é basicamente mais um ano de merda, cada vez estamos mais politizados e com comportamentos desviantes cada vez mais dos objectivos. a palhaçada das certificações é um desses exemplos. penso que neste momento já somos certificados numa data de ISO’s e afins, mas com quase todas as pessoas que falo, nada mudou no que se vai fazendo no dia a dia. a certificação está apenas e só no papel.

e quando são confrontados com a falta notória de mudança, ou encolhem os ombros ou riem-se.

o capítulo da formação nem merece mais tempo de antena do que este.

um projecto em que estive empenhado uns bons dois meses foi o da famosa ep baseada em windows sete. um projecto interessante, mas em que as minhas chefias se mostraram pouco ou nada interessados em saber pormenores. se nem respondem aos emails daquilo que interessa, também não vão responder no que diz respeito ao nosso negócio. mas sabem ser arrogantes, isso temos que reconhecer.

ao nível dos projectos pessoais este ano tive algumas coisas interessantes, fiz um jogo da treta, que mesmo assim teve um impacto interessante no número de acessos ao meu site, digamos que foi giro.

para o ano que se avizinha, a pouco mais de vinte e quatro horas, espero apenas que tudo melhore, nada mais.

espero arranjar coragem para me inscrever na faculdade para iniciar a famigerada licenciatura em Engenharia Informática que será muito provavelmente aqui: [Universidade Lusófona|http://www.ulusofona.pt/index.php/pt/ensino/faculdades-escolas-e-departamentos/ecati/107-licenciaturas-1o-ciclo/2430-1o-ciclo-engenharia-informatica|pt].

embora ainda seja um pouco cedo, tenho até Março para me preparar psicologicamente para tal.

mais haverá certamente para falar, mas neste momento, já nada me ocorre.

despeço-me deste ano com alguma tristeza, por melhores dias espero!

categorias: coisas da minha mona,